PRÉMIO MARIA DAS NEVES REBELO DE SOUSA

Para apoiar à inscrição queiram enviar o seu logotipo.
Como suporte à informação de apreciação da candidatura, podem enviar até cinco ficheiros, em pdf, com o máximo de 10 mb cada.
Os documentos podem ser alterados até ao dia 28 de Fevereiro, através de solicitação a ricardo.rodrigues@ccpm.pt .
A votação online das propostas finalistas realiza-se de 12 de março a 12 de abril.
Participe!


LISTA DE INSCRITOS 
  • 1
    MILLENNIUM BIM Ver Perfil
    Desde 2006, ano em que foi criado o programa de responsabilidade social - Mais Moçambique pra Mim, que o Millennium bim apoia e desenvolve projectos que contribuem para a melhoria da qualidade de vida das comunidades. A estratégia de actuação passa pelo desenvolvimento de um conjunto de medidas que apostam no capital humano como motor para o desenvolvimento económico-social. neste momento actua nas areas da Saude, Educaçao, Desporto, Desenvolvimento Comunitário e Ambiente.
    FICHEIROS  
    RELATÓRIO BIM MAIS 2018
  • 2
    ASSOCIAÇÃO KUTSACA Ver Perfil
    O projecto Kutsaca é um projecto educativo de capacitação de comunidades. Actua desde 2014 através de um modelo de intervenção comunitária que promove a alfabetização e educação de base às crianças, bem como o empoderamento feminino através do desenvolvimento de competências Pessoais, Sociais, Saúde, Nutrição, Desenvolvimento da primeira infância, Ateliers criativos e Criação de micro-negócios. Acreditamos que um modelo de transformação só é realmente eficiente se promover pontes colaborativas com os diversos actores da economia global, de forma activa e consciente, estimulando o empreendedorismo solidário em detrimento do modelo assistencialista que gera dependência e não reforça a capacitação e empoderamento local. Estamos ao serviço de um mundo mais consciente, colaborativo, justo e digno para todos, através de modelos de educação, formação, experiência e partilha.
  • 3
    PLATAFORMA MAKOBO Ver Perfil
    MAKOBO | A Plataforma Solidária, é um espaço de trabalho colectivo (Plataforma Colaborativa) moçambicano, com a missão de promover e fomentar serviços que visem a promoção do bem-estar social de grupos menos favorecidos, através de acções de responsabilização individual e corporativa que, realizadas de forma continuada, efectiva, planeada e sustentada contribuam para o desenvolvimento social, cultural e económico do País. ✔A Nossa Visão: Ser uma plataforma preferencial de desenvolvimento e gestão sustentada de acções efectivas de apoio a grupos menos favorecidos, no âmbito da implementação de Políticas institucionais de Responsabilidade Social. ✔A Nossa Abordagem Baseada em Cinco pilares fundamentais que sustentam um processo de colaboração efectiva: o Diálogo, a Negociação, a Mutualidade, o Cometimento e a Confiança, elegemos como o nosso principal objectivo o desenvolvimento económico e cultural sustentáveis, através da promoção da equidade social para grupos menos favorecidos, fomentado acções de responsabilização individual e corporativa que, realizadas de forma continuada, efectiva, planeada e sustentada contribuam para o desenvolvimento económico e social de Moçambique.
    FICHEIROS  
    MAKOBO_APRESENTAÇÃO INSITUCIONAL
    APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL MAKOBO
    MAKOBO_PROGRAMA LIXO POR SOPA
    PLATAFORMA MAKOBO_PARCERIAS SUSTENTÁVEIS
    MAKOBO_LANCHEIRA SILIDÁRIA
  • 4
    ASSOCIAÇÃO PROJECTO ESPERANÇA Ver Perfil
    “A semear Esperança em Moçambique há 20 anos!” O Projecto Esperança tem como missão apoiar Crianças/Jovens e Famílias vulneráveis em Moçambique. Olívia Tamele, também conhecida por “Mãe Olívia”, e ainda hoje a mentora do Projecto, iniciou esta causa em 1998 com 3 Crianças, com o objetivo de as apoiar, assim como às suas Famílias detentoras de HIV/SIDA. Rapidamente se multiplicaram para 50. O âmbito de intervenção do Projecto foi-se alargando no sentido de apoiar Crianças vulneráveis oriundas de Famílias problemáticas. Para além da saúde, a educação e os valores passaram também a ser objectivos prioritários desta causa. Hoje as crianças, após ou antes do período escolar, deslocam-se aos centros de apoio para se alimentarem, conviverem, receberem apoio escolar, formação de valores, apoio moral e familiar e também, não menos importante, afectos… O Projecto é constituído por 3 centros de apoio, o Centro Piloto de Marracuene, o Centro de Pussulane e o Centro da Cidade da Beira, que apoiam aproximadamente 300 Crianças entre os 4 e 20 anos. Já muito foi realizado! O Projecto Esperança já tem jovens a estudar na Universidade e muitos a realizar cursos técnicos e as condições de infraestruturas dos Centros melhoraram consideravelmente. Esta causa é sustentada através do apadrinhamento de Crianças, que financia a educação, material escolar, alimentação, vestuário e despesas de saúde da criança. E, também, carinho e amor, tão necessário para o desenvolvimento de qualquer ser humano. Outras acções específicas envolvem investimento em infraestruturas de modo a permitir o bom funcionamento dos centros de apoio, assim como acções pontuais em actividades relevantes para a formação e desenvolvimento das crianças de Moçambique. Surgiu também recentemente um novo grupo de Moçambicanos e Portugueses com muita vontade de apoiar esta causa, através do apadrinhamento directo de Crianças, participação em eventos de confraternização e angariação de apoios. Dando continuidade ao trabalho já realizado pela associação Padrinhos de Portugal, foi criada recentemente também neste País, a associação Hope4Moza para apoiar o Projecto Esperança Moçambique nas variadas áreas. Poderão também visitar-nos no Facebook: Projecto Esperança Moçambique e em www.projectoesperanca.com.
    FICHEIROS  
    APRESENTAÇÃO DO PROJETO ESPERAÇA
  • 5
    MOZAMBIKES Ver Perfil
    A MOZAMBIKES é um projecto social que distribui bicicletas de qualidade, maioritariamente nas zonas rurais e que visa ajudar as pessoas que vivem abaixo da linha da extrema pobreza, a terem acesso a uma bicicleta e assim melhorar a sua qualidade de vida. A MOZAMBIKES tem como objectivo a capacitação de pessoas, em busca de BENEFÍCIOS Sociais, proporcionando assim o CRESCIMENTO nas comunidades. As bicicletas são uma forma de transporte altamente eficiente, que gera um forte impacto na economia do país. As Bicicletas não são apenas um meio de transporte – elas facilitam o acesso a milhões de moçambicanos nas zonas rurais, à saúde, à educação, a água limpa, à agricultura e mesmo a um emprego.
    FICHEIROS  
    MOZAMBIKES_APRESENTAÇÃO 2018
    MOZAMBIQUES NAMPULA
  • 6
    CASA DO GAIATO DE MAPUTO Ver Perfil
    A Casa do Gaiato de Maputo desde há mais de 25 anos tem formado gerações de jovens Moçambicanos que sem ela não teriam um futuro digno. Constituida e gerida sob os princípios do Padre Américo, alberga actualmente mais de 150 rapazes em regime interno, providenciando habitação, alimentação, educação, tudo o que uma Família faria, se estes jovens a tivessem. Acompanha os jovens mesmo enquanto adultos, procurando assegurar-lhes um projecto de Vida com sentido. Apoia ainda mais de 50 jovens na inserção da vida adulta, quer em estudos superiores quer em actividades profissionais. Para além desta actividade ímpar, tem ainda um impacto muito significativo nas comunidades da Massaca e Boane, onde se insere. Proporciona Escola a cerca de 600 crianças, e desenvolve projectos estruturados com a comunidade, muito orientados para as Mulheres. Pela dimensão e qualidade de intervenção social é um projecto exemplar em Moçambique que merece apoio.
  • 7
    GIRL MOVE ACADEMY Ver Perfil
    A Girl MOVE é uma Academia de jovens mulheres líderes disruptivas e transformadoras, inovadora nas metodologias, com paixão pelo que faz e pelas causas em que acredita. Trabalha desde 2013 no Norte de Moçambique, com impacto a nível nacional. A Girl MOVE Academy sonha com um mundo onde todas as mulheres têm acesso a oportunidades para serem líderes de referência no desenvolvimento das suas comunidades, do seu país e do mundo. Diferencia-se pela transformação que gera em 3 grupos de jovens e mulheres: 
    • As Girl Movers: alunas do CHANGE que aceitam o desafio de se transformarem, transformando a vida de outras jovens moçambicanas. 
    • As alunas do LEAD, jovens universitárias que com o apoio das Girl Movers, assumem o papel de mentoras, apoiando diretamente perto de 1.000 raparigas entre os 12 e os 15 anos. 
    • As Mwarusis, que encontram na Girl MOVE Academy os espaços seguros necessários para se manterem na escola e sonharem com um futuro melhor.
    FICHEIROS  
    RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2018
    RELATÓRIO ESTÁGIOS DE VIDA 2018
    BROCHURA GIRL MOVE
  • 8
    SALINA DE BATANHE - MISSIONÁRIOS DA CONSOLATA Ver Perfil
    A Salina de Batanhe é uma empresa de caracter social detida pelos missionários da Consolata em Moçambique. A origem do seu sal é improvável. Advém do oceano e da viagem que daqui se empreende. Criada em Moçambique há 50 anos, pelo Padre Amadeu Marchiol, no extremo norte da província de Inhambane, esta salina dos Missionários da Consolata nasceu da necessidade de criar recursos, numa zona isolada e de clima adverso, sujeita a secas cíclicas que impediam colheitas regulares, e que assim ditavam anos de fome às populações de Nova Mambone. Hoje, depois de sobreviver, quer a desastres naturais, que aos anos da guerra, a Salina de Batanhe é uma empresa social rentável. Emprega cerca de 90 trabalhadores, 30 permanentes e 60 ocasionais, a quem dá assistência médica e aulas de alfabetização, promovendo também uma escolinha para a população através dos missionários. Recentemente venceu dois prémios, na área da inclusão e do agro-negócio em 2017 e o prémio Agro empreendedor em 2018. Ensaia agora os primeiros passos para a exportação fora do continente africano, preparando-se este ano para representar Moçambique na “Global Agripreneurs Summit”, na Grécia.
Participar no prémio:
Participar no prémio
INSCREVER NO PRÉMIO
INSCREVER NO PRÉMIO
INDIVIDUALIDADE/ ORGANIZAÇÃO*:
E-MAIL *:
TELEFONE :
NOME DE CONTACTO:
DESCRIÇÃO SUMÁRIA:

*Editável sob pedido
Já se registou no prémio!
Por favor insira um email válido!
Foi inscrito com sucesso no prémio, por favor aguarde a aprovação da sua inscrição.
Votou com sucesso!
Os seus dados foram inseridos corretamente.

Obrigado
Já votou neste associado ou Ultrapassou os 3 votos permitidos.
Email inválido! Por favor tente novamente.
Email inválido! Por favor tente novamente.

Prémio
Maria das Neves Rebelo de Sousa

Regulamento


Considerando o contributo que Maria das Neves Rebelo de Sousa, uma das primeiras Assistentes Sociais de Portugal, ao longo da sua vida deu a causas de natureza humanitária e social, particularmente em Moçambique de 1967 a 1970, deixando na memória de muitas entidades e populações a indelével marca da sua personalidade e sentido de dádiva ao próximo, entendemos Honrar o seu legado através do reconhecimento do mérito e da solidariedade com um prémio anual.

INTRODUÇÃO

A Câmara de Comércio Portugal Moçambique (CCPM) tem, como principal objetivo, a construção de uma sociedade inclusiva, capaz de valorizar as relações sociais, académicas e económicas entre as comunidades dos dois países.
O Prémio Maria das Neves Rebelo de Sousa, a atribuir anualmente, com início no ano de 2019, tem como finalidade reconhecer individualidades ou organizações que, pela sua relevância e pelo trabalho desenvolvido, se tenham distinguido na área da Responsabilidade Social em Moçambique.

PRIMEIRO
Objetivo


O objetivo do Prémio Maria das Neves Rebelo de Sousa é distinguir individualidades ou organizações que tenham contribuído de forma decisiva e com particular impacto na sociedade moçambicana quer através de uma abordagem teórica (designadamente, com a introdução de novos conceitos, de novas metodologias ou da contribuição para a modificação de mentalidades), quer por via de uma abordagem prática (designadamente, de modalidades de apoio direto).

SEGUNDO
Prazo


O Prémio Maria das Neves Rebelo de Sousa é atribuído anualmente.

TERCEIRO
Valor

O Prémio Maria das Neves Rebelo de Sousa tem um valor simbólico de €7.500 (sete mil e quinhentos euros), suportado pela Câmara de Comércio Portugal Moçambique.

QUARTO
Processo de Decisão


1. A coordenação e acompanhamento de atribuição do Prémio é da responsabilidade do Conselho Geral da CCPM, composto por personalidades de reconhecido mérito, com o seguinte modelo;
2. O Conselho Geral identifica, deliberando por maioria simples dos seus membros, até seis propostas finalistas. O processo de voto tem quatro etapas, com a ponderação de 25% cada. Assim;
a. O Conselho Geral vota, de modo secreto, por envelope fechado, as propostas finalistas;
b. Os sócios empresas e sócios solidários, com as quotas em dia, da CCPM, votam de modo digital nas propostas entre 12 de março a 12 de abril;
c. É promovida uma votação online das (até) seis propostas finalistas, entre 12 de março a 12 de abril, sendo assegurado que cada ID só pode realizar uma votação. Os responsáveis pelas propostas devem assegurar o modelo e a informação a disponibilizar pela plataforma.
d. As pessoas presentes no jantar de Gala, para atribuição e entrega do prémio, têm acesso à votação, também secreta, numa tombola em acrílico transparente, colocada para o efeito na sala.
3. Serão convidados para a cerimónia de entrega de prémios dois representantes de cada proposta finalista em concurso.
4. A decisão de atribuição do prémio Maria das Neves Rebelo de Sousa não é passível de recurso.

QUINTO
Critérios de avaliação


No processo de avaliação das candidaturas são considerados, como critérios fundamentais, a prossecução dos objetivos que presidiram à instituição do Prémio, bem como o impacto, a originalidade e o caráter inovador da contribuição dos candidatos para o ideal de uma sociedade inclusiva.

SEXTO
Candidaturas


1. As candidaturas, devidamente fundamentadas, devem ser submetidas exclusivamente online, no mês de fevereiro de cada ano, em www.ccpm.pt, de acordo com as instruções aí referidas.
2. Os documentos a incluir na candidatura deverão evidenciar os resultados e os impactos das atividades desenvolvidas pelo candidato. 

3. Para apoio à inscrição queiram enviar o seu logotipo.
4. Como suporte à informação de apreciação da candidatura, podem enviar até cinco ficheiros, em pdf, com o máximo de 10 mb cada. Para os videos poderão enviar o link do video (youtube ou vimeo) ou código para incorporar.
5. Os documentos podem ser alterados até ao dia 28 de Fevereiro, através de solicitação a ricardo.rodrigues@ccpm.pt.
6. Para além dos documentos submetidos com a candidatura, o júri pode solicitar esclarecimentos adicionais sobre o trabalho desenvolvido pelos candidatos.
7. O Conselho Geral da CCPM, no dia 10 de março, identificará os (até seis) projetos a votação.
8. Os Prémios serão entregues em local a definir, sendo que a cerimónia deverá decorrer no dia 17 de abril (data de nascimento de Baltazar Rebelo de Sousa).

SÉTIMO
Elegibilidade


São elegíveis as candidaturas de quaisquer pessoas singulares ou coletivas, independentemente da sua nacionalidade, que se tenham distinguido, em Moçambique, na defesa e na promoção do ideal de uma sociedade inclusiva.

CORPORATE