Câmara de Comércio
Portugal Moçambique
Portugal Mozambique
Chamber of Commerce
bannerccpm
 

Moçambique: Um novo ciclo político – é necessária estabilidade política que garanta a continuidade do progresso económico do país

DrJoãoNavega

Em 2014, a República da África do Sul comemora os 20 anos da eleição de Nelson Mandela como Presidente do país (1994). A sua investidura como Presidente verificou-se depois das primeiras eleições democráticas (um homem um voto) que puseram termo aos governos de minoria branca na RSA.

A eleição de Nelson Mandela encerrou o capítulo da colonização europeia de África, o fim dos regimes de minoria branca na África Austral, o fim do apartheid e o início de uma nova era de democratização, fechando um ciclo político acelerado pela Revolução portuguesa do 25 de Abril de 1974, a consequente independência das ex-colónias, em particular Angola e Moçambique, e o desencadear de processos de alteração política que tiveram continuidade no Zimbabwe, Namíbia e finalmente a RSA.

É bem conhecido o significado desta eleição e a amplitude das consequências da Presidência de Nelson Mandela no seu país e no Continente: o perdão dado aos carcereiros, a reconciliação nacional, a prática da democracia e a repulsa de tentações totalitárias por parte do ANC, a luta pelo desenvolvimento económico e o progresso da população mais desfavorecida, em particular a da comunidade negra, as relações de boa vizinhança com os seus vizinhos, designadamente Moçambique, o posicionamento do país na Comunidade Internacional fazendo com que ele fosse reconhecido pela sua tolerância e pela integração de todas comunidades raciais depois de um regime de exclusão e apartheid que durou demasiado tempo.

Em 1999 Mandela afastou-se da Presidência (cinco anos apenas). Ninguém lhe pediu que o fizesse, mas quis dar o lugar a outros, com isso oferecendo aos africanos mais uma lição de desapego do poder. Mas, depois disso, na RSA continuou a existir um homem, que já não sendo mais presidente, tinha mais poder do que quando o era; Mandela, que depois de mais de 25 anos no cárcere do apartheid, defendia um futuro para todos os africanos: negros, indianos, mestiços e brancos. Nelson Mandela deixou-nos a todos, africanos ou não africanos, mas o seu testemunho e legado continuam a troar na África Austral, detendo muitas loucuras. Até hoje!

Faça-se algum paralelismo com Moçambique...

João Navega
Presidente de Direcção

<clique aqui para saber mais>


 

 
Newsletters - Últimos Destaques

PME DE MOÇAMBIQUE VÃO RECEBER 7,2 MILHÕES DE EUROS

MOZA BANCO DE MOÇAMBIQUE QUER QUADRUPLICAR NÚMERO DE AGÊNCIAS

DISPONÍVEL PESQUISA SÍSMICA EM 2D DA COSTA DE MOÇAMBIQUE

FITCH RATINGS MANTÉM EM “B+” NOTAÇÃO DE RISCO DE LONGO PRAZO DE
MOÇAMBIQUE

PARCERIA ENTRE MOÇAMBIQUE E COREIA DO SUL MONTA AUTOMÓVEIS HYUNDAI